 Bem-vindo!  Willkommen!  Bienvenido!  Bienvenue!  Benvenuti!  Welcome!  歡迎! Καλως ηλθατε!  Добро пожаловать! !مرحبا

VISITA O RETALHOS 2 em http://betus-pax2.blogspot.com

12 dezembro 2014

Olhar em Deus...

Queridos Amigos, num tempo em que pouco me tenho dedicado a criar novos textos para o blog, quem dera que todos vós participásseis com reflexões e outros, recebi esta imagem com indicação "para o teu blog".
Eu também gostei e fez-me olhar para ELE... aqui a deixo para todos.
Benedicat!


17 dezembro 2013

Óh! Vinde sem demora (antífonas do Ó)

As antífonas do Ó, ricas na sua beleza e no que simbolizam neste tempo do advento, são antífonas - pequenas frases que, desde hoje e até ao dia 23, rezamos ou cantamos como antífonas do Magnificat, na Oração de Vésperas, e como estrofe da aclamação ao Evangelho da Eucaristia. Refira-se ainda que nestes momentos da liturgia estas antífonas já estão um pouco mais simplificadas mas sem perderem o verdadeiro sentido original.
Pesquisei na net em vários sítios, pedi ajuda aos confrades mais doutos que eu nestas coisas da liturgia. O texto que se segue é o meu resumo do que pude aprender.
Desde o dia 17 de Dezembro ao dia 23, nos momentos litúrgicos acima referidos, cantam-se as antífonas do Ó, habitualmente com
melodias gregorianas, antes e depois do Magnificat. Ao que parece terão sido compostas entre os séculos VII e VIII. Pode dizer-se que no seu conjunto resumem um verdadeiro e admirável compêndio da cristologia da antiga Igreja, sendo um resumo expressivo do desejo de salvação de toda a humanidade, tanto de Israel no Antigo Testamento, como da Igreja no Novo Testamento. Trata-se de pequenas estrofes ao jeito de oração, dirigidas a Cristo e que resumem o espírito deste tempo de Advento e Natal.
Ao cantar, proclamar ou rezar estas antífonas a Igreja expressa a sua admiração diante do mistério de
Deus feito Homem.
É de realçar a força com que começam, através da
interjeição «Ó», que nos adentra para uma compreensão cada vez mais profunda de tal mistério, bem como a forma suplicante com que terminam: «Vem, não tardes mais!». Estas antífonas são súplicas a Cristo, reverenciando o Senhor que vem, com um título diferente em cada dia, título messiânico retirado do Antigo Testamento, mas que de alguma forma preconiza toda a plenitude que se realizará no Novo:
As antífonas em latim têm uma outra particularidade que eu não sabia e que aprendi agora. Vejamos como começam elas em latim e os dias correspondentes:
17 de dezembro: "O Sapientia" (Ó Sabedoria, que saístes da boca do Altíssimo)18 de dezembro: "O Adonai" (Ó meu Senhor, Guia da Casa de Israel)19 de dezembro: "O Radix" (Ó Raiz de Jessé)20 de dezembro: "O Clavis" (Ó Chave de David)21 de dezembro: "O Oriens" (Ó Sol nascente, esplendor da Luz Eterna)22 de dezembro: "O Rex gentium" (Ó Rei das Nações)23 de dezembro: "O Emmanuel" (Ó Deus connosco)Se lermos as palavras, formadas pelas letras iniciais das palavras latinas, após a interjeição “O”, e lidas no sentido inverso, da última para a primeira, encontramo-nos diante do acróstico (composição poética em que as letras iniciais dos versos, ou as do meio, ou as do final, formam uma frase ou uma palavra) «ERO CRAS».
De acordo com os meus confrades, doutos nestas cousas, “ero” significa “ontem” e “cras” significa “amanhã”.
Aumentou a minha curiosidade acerca da tradução e significado de tal acróstico. Voltei a questionar os confrades e, dizem eles, e eu assim o creio, significa «virei amanhã, serei amanhã, estarei amanhã», reflectindo desta forma a resposta do
Messias à súplica dos fiéis.

Deixo aqui o texto em latim e a tradução que encontrei para a língua Lusa. Confio que esta esteja correcta e com o verdadeiro sentido do original.
Em cada dia respectivo presidirá, no painel rolante (em cima), a antífona respectiva como forma de oração desse dia.

O Sapientia, quae ex ore Altissimi prodiisti, attingens a fine usque ad finem, fortiter, suaviterque disponens omnia: veni ad docendum nos viam prudentiae.
Ó Sabedoria, que saístes da boca do Altíssimo, e atingis até os confins de todo o universo, e com força e suavidade governais o mundo inteiro: oh vinde ensinar-nos o caminho da prudência!

O Adonai, et dux domus Israel, qui Moysi in igne flammae rubi apparuisti, et ei in Sina legem dedisti: veni ad redimendum nos in brachio extento.

Ó Adonai (Senhor), guia da casa de Israel, que aparecestes a Moisés na sarça ardente, e lhe destes a vossa lei sobre o Sinai, vinde salvar-nos com braço poderoso!

O Radix Jesse, qui stas in signum populorum, super quem continebunt reges os suum, quem gentes deprecabuntur: veni ad liberandum nos, jam nolli tardare.

Ó Raiz de Jessé, ó estandarte, levantado em sinal para as nações! Ante vós se calarão os reis da terra, e as nações implorarão misericórdia: Vinde salvar-nos! Libertai-nos sem demora!


O Clavis David, et sceptrum domus Israel, qui aperis, et nemo claudit; claudis, et nemo aperit: veni et educ vinctum de domo carceris, sedentem in tenebris et umbra mortis.

Ó Chave de David, ceptro da casa de Israel, que abris e ninguém fecha, que fechais e ninguém abre: vinde logo e libertai o homem prisioneiro que, nas trevas e na sombra da morte está sentado.


O Oriens, splendor lucis aeternae et sol justitiae: veni et illumina sedentes in tenebris et umbra mortis.

Ó Sol Nascente justiceiro, resplendor da Luz eterna: Oh, vinde e iluminai os que jazem entre as trevas e na sombra do pecado e da morte estão sentados.

O Rex Gentíum, et desideratus earum, lapisque angularis, qui facis utraque unum: veni, et salva hominem quem de limo formastí.


Ó Rei das Nações, desejado dos povos; ó Pedra Angular, que os opostos unis: Oh, vinde e salvai este homem tão frágil, que um dia criastes do barro da terra!

O Emmanuel, Rex et legifer noster, expectatio gentium et Salvator earum: veni ad salvandum nos, Domine Deus noster.

Ó Emanuel – Deus-connosco, nosso Rei Legislador, Esperança das Nações e dos povos Salvador: Vinde enfim para salvar-nos, ó Senhor nosso Deus!

Termino suplicando “Maranatha!” , vem Senhor Jesus!
(fontes: Wikipédia, a enciclopédia livre, outros sítios da net e Dictionnaire de Archeologie Chretienne et de Liturgie, publié par Dom Fernand Cabral, XII, Paris, 1936, p. 1816)

01 dezembro 2013

Advento: Sentido e espiritualidade

Sentido do Advento

A palavra “advento” vem do latim ad-venio, que por sua vez é a tradução da palavra grega parusía, que significa presença, chegada. A palavra adventus significa vinda, advento. Provém do verbo vir. Era utilizada na linguagem pagã para indicar o adventus da divindade: sua vinda periódica e sua presença no recinto sagrado do templo. Neste sentido, a palavra adventus deve significar «retorno» e «aniversário». Também se utilizava a expressão para designar a entrada triunfal do imperador: Adventus divi.
Na linguagem cristã primitiva, com a expressão adventus se fazia referência à última vinda de Jesus, a sua volta gloriosa e definitiva. Mas em seguida, ao aparecer as festas de natal e epifania, adventus serve para significar a vinda do Senhor na humildade da condição humana. Deste modo a vinda de Jesus em Belém e sua última vinda, no fim dos tempos, se contemplam dentro de uma visão unitária, não como duas vindas distintas, mas sim como uma só e única vinda, desdobrada em etapas distintas.Advento, portanto, não é, propriamente, tempo de espera, mas é o tempo em que a presença de Deus no mundo já começou. Deus, mesmo que de modo oculto, já está presente no mundo. Sua manifestação vai crescendo e se desdobrando ao longo de toda história. Advento significa presença de Deus já começada. Isto implica que o cristão não olha somente o que já foi e o que aconteceu como também ao que está por vir. Em meio a todas as contradições do mundo, tem a certeza de que a semente do Reino de Deus segue crescendo, muitas vezes de modo oculto, até o dia em que o projecto de Deus vai triunfar definitivamente. Então, a presença de Deus, que já começou há muito tempo, será um dia presença total.

Espiritualidade do Advento

A liturgia do Advento impulsiona a reviver alguns dos valores cristãos da maior importância, como a alegria, a esperança, a pobreza, a conversão.Deus é fiel a suas promessas: o Salvador virá; daí a alegre expectativa, que deve nesse tempo, não só ser lembrada, mas vivida, pois aquilo que se espera acontecerá com certeza. Portanto, não se está diante de algo irreal, fictício, passado, mas diante de uma realidade concreta e actual. A esperança da Igreja é a esperança de Israel já realizada em Cristo mas que só se consumará definitivamente na parusía (regresso) do Senhor. Por isso, o brado da Igreja característico nesse tempo é Maranatha! Vem Senhor Jesus!O tempo do Advento é tempo de esperança porque Cristo é a nossa esperança (I Tm 1, 1); esperança na renovação de todas as coisas, na libertação das nossas misérias, pecados, fraquezas, na vida eterna, esperança que nos forma na paciência diante das dificuldades e tribulações da vida, diante das perseguições, etc.
O Advento também é tempo propício à conversão. Sem um retorno de todo o ser a Cristo, não há como viver a alegria e a esperança na expectativa da Sua vinda. É necessário que "preparemos o caminho do Senhor" nas nossas próprias vidas, lutando incessantemente contra o pecado, através de uma maior disposição para a oração e mergulho na Palavra.No Advento, precisamos nos questionar e aprofundar a vivência da pobreza. Não pobreza económica, mas principalmente aquela que leva a confiar, se abandonar e depender inteiramente de Deus e não dos bens terrenos. Pobreza que tem n'Ele a única riqueza, a única esperança e que conduz à verdadeira humildade, mansidão e posse do Reino.

13 fevereiro 2013

Quaresma... Caminho para a Cruz.

Na linguagem corrente, a Quaresma abrange os dias que vão da Quarta-feira de Cinzas até ao Sábado Santo. Contudo, a liturgia propriamente quaresmal começa com o primeiro Domingo da Quaresma e termina com o sábado antes do Domingo da Paixão.
A Quaresma pode considerar-se, no ano litúrgico, o tempo mais rico de ensinamentos. Lembra o retiro de Moisés, o longo jejum do profeta Elias e do Salvador. Foi instituída como preparação para o Mistério Pascal, que compreende a Paixão e Morte (Sexta-feira Santa), a Sepultura (Sábado Santo) e a Ressurreição de Jesus Cristo (Domingo e Oitava da Páscoa).
Data dos tempos apostólicos a Quaresma como sinónimo de jejum observado por devoção individual na Sexta-feira e Sábado Santos, e logo estendido a toda a Semana Santa. Na segunda metade do século II, a exemplo de outras igrejas, Roma introduziu a observância quaresmal em preparação para a Páscoa, limitando porém o jejum a três semanas somente: a primeira e quarta da actual Quaresma e a Semana Santa.
A verdadeira Quaresma com os quarenta dias de jejum e abstinência de carne, data do início do século IV, e acredita-se que, para essa instituição, tenham influído o catecumenato e a disciplina da penitência pública.
O jejum consistia originariamente numa única refeição tomada à tardinha; por volta do século XV tornou-se uso comum o almoço ao meio-dia. Com o correr dos tempos, verificou-se que era demasiado penosa a espera de vinte e quatro horas; foi-se por isso introduzindo o uso de se tomar alguma coisa à tarde, e logo mais também pela manhã, costume que vigora ainda hoje. O jejum actual, portanto, consiste em tomar uma só refeição diária completa, na hora de costume: pela manhã, ao meio-dia ou à tarde, com duas refeições leves no restante do dia.
A Igreja prescreve, além do jejum, também a abstinência de carne, que consiste em não comer carne ou derivados, em alguns dias do ano, que variam conforme determinação dos bispos locais.Na maior parte dos países, e também em Portugal, são dias de jejum e abstinência a quarta-feira de cinzas e a sexta-feira santa. Por determinação de algumas Conferências Episcopais, nas sextas-feiras do ano (inclusive as da Quaresma, excepto a Sexta-feira Santa) fica a abstinência comutada em outras formas de penitência.
Praticar a abstinência é privar-se de algo, não só de carne. Por exemplo, se temos o hábito diário de assistir televisão, fumar, etc, vale o sacrifício de abster-se destes hábitos nesses dias. A obrigação de se abster de carne começa pelos 14 anos, ano em que se pode ministrar o sacramento da Confirmação. A obrigação de jejuar, limitando-se a uma refeição principal e a duas mais ligeiras no decurso do dia, vai dos 21 aos 59 anos. Quem está doente (e também as mulheres grávidas) não está obrigado a jejuar.
Todos pecamos, e todos precisamos fazer penitência”, afirma São Paulo. A penitência é uma virtude sobrenatural intimamente ligada à virtude da justiça, que “dá a cada um o que lhe pertence”: de facto, a penitência tende a reparar os pecados, que são ultrajes a Deus, e por isso dívidas contraídas com a justiça divina, que requer a devida reparação e resgate. Portanto, a penitência inclina o pecador a detestar o pecado, a repará-lo dignamente e a evitá-lo no futuro.
A obrigatoriedade da penitência nasce de quatro motivos principais, a saber:
. - Do dever de justiça para com Deus, a quem devemos honra e glória, o que lhe negamos com o nosso pecado;
.- Da nossa incorporação com Cristo, o qual, inocente, expiou os nossos pecados; nós, culpados, devemos associar-nos a ele, no Sacrifício da Cruz, com generosidade e verdadeiro espírito de reparação.
.- Do dever de caridade para com nós mesmos, que precisamos descontar as penas merecidas com os nossos pecados e que devemos, com o sacrifício, esforçar-nos por dirigir para o bem as nossas inclinações, que tentam arrastar-nos para o mal;
.- Do dever de caridade para com o nosso próximo, que sofreu o mau exemplo de nossos pecados, os quais, além disso, lhe impediram de receber, em maior escala, os benefícios espirituais da Comunhão dos Santos.
Vê-se daí quão útil para o pecador aproveitar o tempo da Quaresma para multiplicar suas boas obras, e assim dispor-se para a conversão. Segundo os Santos Padres, a Quaresma é um período de renovação espiritual, de vida cristã mais intensa e de destruição do pecado, para uma ressurreição espiritual, que marque na Páscoa o reinício de uma vida nova em Cristo ressuscitado.
A Quaresma tem por escopo primordial incitar-nos à oração, à instrução religiosa, ao sacrifício e à caridade fraterna. Recomenda-se por isso a freqüência às pregações quaresmais, a leitura espiritual diária, particularmente da Paixão de Cristo, no Evangelho ou em outro livro de meditação.
O jejum e abstinência de carne se fazem para que nos lembremos de mortificar os nossos sentidos, orientando-os particularmente ao sincero arrependimento e emenda de nossos pecados.
A caridade fraterna — base do Cristianismo — inclui a esmola e todas as obras de misericórdia espirituais e corporais.

(Fonte: Missal Romano)

Quais são as Obras de Misericórdia?
Corporais
1. Dar de comer a quem tem fome. 2. Dar de beber a quem tem sede. 3. Vestir os nus. 4. Dar pousada aos peregrinos. 5. Assistir aos enfermos. 6. Visitar os presos. 7. Enterrar os mortos.
Espirituais
1. Dar bom conselho. 2. Ensinar os ignorantes. 3. Corrigir os que erram. 4. Consolar os tristes. 5. Perdoar as injúrias. 6. Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo. 7. Rogar a Deus por vivos e mortos.

31 janeiro 2013

Crer em Deus: o dom da fé

06 janeiro 2012

Epifania: Vieram adorá-l'O!

Hoje o Salmo 71 leva-nos à aclamação: “Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra.” E mais adiante referindo-se ao Messias canta que “Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes, os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas. Prostrar-se-ão diante dele todos os reis, todos os povos o hão-de servir.”Este Salmo torna-se o mote para a nossa reflexão deste dia, o dia da Epifania, da manifestação de Deus em Jesus Cristo.É d’Ele que fala o salmo. A adoração e a prostração dos grandes do mundo, só poderia acontecer diante do grande mistério da manifestação de Deus ao Seu povo, o novo Israel, a nova Jerusalém.Isaías (Is 60, 1-6) sonha com esta grande realidade e mais ainda aponta-a para um futuro próximo: “Levanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor”Não é apenas um sonho mas a revelação do próprio Deus que vem, Ele é a Luz que vem para iluminar e guiar nos caminhos da paz e da justiça. “sobre ti levanta-Se o Senhor, e a sua glória te ilumina” (…)Virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor”.Como é bom imaginar o profeta a fazer esta preconização na enorme praça da cidade Santa. Como crer que a Luz de Deus vem iluminar quem se sente tão longe d’Ele? Como crer que os outros povos poderosos olharão para uma nova Jerusalém invadindo-a não para a derrotar mas para a encher de bens e de presentes, ouro, sinal da realeza e incenso sinal da divindade.
Deus iluminará o Seu Povo, reformará o seu coração, a sua história e atrairá a ele todos os outros povos.Esta é a promessa que hoje nos narra Mateus 2, 1-12: “Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O».Uns magos, ou reis como também se lhes chama noutros textos, conhecem a Escritura Sagrada, conhecem os sinais dos tempos e deixam-se guiar por uma Luz, uma estrela, diferente de todas as outras. E eis que chegam ao lugar onde está Maria e o Menino. É curioso que o Evangelho não refere mais ninguém, nem mesmo José. “Puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O.”José aparece aqui completamente ofuscado pelo mistério da Encarnação. Parece que o Evangelista apenas se preocupa em revelar a grandeza do Menino e de Sua Mãe. Nada mais importa ali naquele lugar. José teve e tem um lugar primordial na vida de Cristo e em toda a história da salvação mas, curiosamente, nos momentos mais fortes – tão poucos – em que José está presente não existe grande preocupação a não ser revelar que o grande Mistério da Salvação nos vem de Jesus por Maria.Aquela pequena terra, Belém, que ao que parece nem era lá muito bem vista aos olhos do tempo, cumpre assim a promessa de Deus como no-lo revela Mateus: “Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo”.
Ao acolher o Messias Belém torna-se a cidade que abre as portas à realização da Salvação divina. Assim, transforma-se na terra do medo de Herodes, medo deste novo Rei e do Seu Povo. Herodes teme e o seu temor leva-o à mentira, à fúria e à morte dos Santos Inocentes recentemente celebrados por todos nós. Aos seus pares, se assim lhes podemos chamar, Herodes manda-os até Belém no intuito de saber onde está tal Rei nascido porque, diz ele, também lhe quer prestar homenagem, também ele o quer ir adorar. A sua mentira não é esquecida por Deus.
Os Magos seguem a estrela e chegam ao lugar onde está Maria e o Menino e, diz Mateus: “abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra”.Já vimos que o ouro é o símbolo da realeza, o incenso da divindade e a mirra é símbolo da humanidade sofredora.

Uns Magos, uns Reis, pessoas importantes de outros povos e nações, prostram-se diante de um bebé acabado de nascer para O adorar. Só por si este gesto é já significativo do reconhecimento de que Ele é a realização da promessa Salvífica de Deus. Reconhecem a Sua Realeza, Cristo é o Rei de todos os Povos, de todo o Universo; reconhecem a Sua Divindade, Cristo é Deus, faz parte do grande mistério que Deus é, mas reconhecem também a sua humanidade e, no dizer de alguns biblistas, a mirra representa todo o sofrimento que o levaria à Cruz.Estes magos representam a humanidade inteira, não é só o Povo Hebreu que recebe ou reconhece a Salvação mas a humanidade inteira.Paulo em Ef 3,2-3a.5-6, lembra-nos esta realidade da sua e nossa fé: “Certamente já ouvistes falar (…) foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. (…) Revelado pelo Espírito Santo (…) os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho.”Aqui vemos a Universalidade da salvação. Cristo vem resgatar todos os povos de todos os tempos. E o mais bonito de todo este mistério do Natal é que a Revelação começa pelos mais pobres e simples, os pastores que guardam os rebanhos, são os Anjos que os convidam a dar glória a Deus e depois os gentios, os Magos, os Reis dos outros povos.
Todos recebem, em símbolos diversos: Palavra de Deus, Anjos, Luz, Estrela, a grande alegria de que “O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e nós vimos a Sua glória de Unigénito do Pai, cheio de graça e verdade”.
E Maria ali está, silenciosa face ao que todos contam acerca do Seu Menino. É a Mãe do silêncio, do acolhimento, da entrega, da Revelação.Voltando ao Evangelho Mateus termina dizendo que: “E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho”.
Os caminhos de Deus manifestam-se a cada momento do nosso dia-a-dia.
Neste dia somos chamados a participar desta Epifania, manifestação da Glória de Deus, através dos nossos gestos e do testemunho da nossa fé. Foi a fé que levou os Magos até Belém. Eu costumo dizer que aquela estrela de que falam os Evangelhos não é mais que a luz da fé que salva e aponta o caminho a seguir. Não foram anjos mas o crer, o acreditar nessa Luz, que levou estes, a que a tradição dá o nome de Baltazar, Gaspar e Belchior, ao lugar onde um Menino e Sua Mãe recebem o louvor, a prostração e a adoração. Adorar o Menino Deus é certamente tecer um gesto de adoração Àquela que abre as portas do Reino de Deus outrora fechadas pelo pecado de Eva. Assim o cantamos nós na antífona: “Por Eva foi fechada aos homens a porta do céu, e a todos foi de novo aberta por Maria”.
Como Igreja em comunhão, não esquecendo os nossos irmãos Ortodoxos que hoje celebram o seu Natal, saibamos deixar-nos guiar pela Luz que é Cristo e na alegria exclamada por Isaías, na fé proclamada por Paulo e na beleza do mistério revelado em Mateus, cantemos com a Igreja inteira:
“Gloria in excelsis Deo”…

31 dezembro 2011

2011 ABENÇOADO

Chegados ao final de 2011 e início de 2012 aqui deixo, uma vez mais, mensagem em vídeo HD.

Que a todos vós Deus conceda um novo ano abençoado! Em tempo de crise, que não se confina apenas ao económico, urge ter sentido de esperança e de luta para que a bênção de Deus se faça sentir junto de todos, sobretudo dos mais desfavorecidos da nossa sociedade.
(desactivar a música na coluna da esquerda e se preferir ver com mais amplitude clicar sobre o título da postagem)


03 novembro 2011

Retalhos: 5 ANOS

O dia vai caindo…



É no final da vida que seremos julgados pelo Amor, como nos diz S. João da Cruz.


É também no fim deste dia que, não por julgamento mas, por partilha amiga, páro para olhar este blog RETALHOS que hoje faz CINCO ANOS.


Fui olhar mais uma vez as primeiras partilhas do blig 1 em http://betus_pax.blogspot.com para voltar a sentir o sabor das origens, ou o objectivo com que um dia me lancei na aventura de criar um blog, e eu que nem sabia o que isso era.


Foi a ajuda inicial de um AMIGO, ao qual cada dia foi trazendo novos Amigos, que aqui deixaram tantas palavras e partilhas ao jeito de retalhos de vida, onde o importante é fazer parte da vida de alguém. Assim nascia um blog. E depois teve o irmão, gémeo, talvez, ou então não gémeo porque é o mesmo objectivo, o mesmo sentir, as mesmas partilhas actualizadas dentro do possível (veja o novo blog em http://betus_pax2.blogspot.com/)


Muitos momentos de alegria, alguns menos bons por palavras e juízos que não foram/são autênticos mas que partem tantas vezes da malvadeza de alguns, da inveja e até mesmo da ignorância. Tal como se faz aos ramos secos de uma planta deixei-os cair, não sem antes, e porque não ser sincero, tivessem feito alguma mossa nas motivações que alimentam um espaço como este que procura ser diferente no mundo da internet.


Quantos por aqui passaram e já não vieram mais, quantos passam e deixam a sua passagem numa partilha, quantos passam e ficam no silêncio, quantos…


Cinco anos é para mim, creio poder dizer para vós também – Família Retalhos – tempo de pensar no futuro da criança, na alimentação da planta, no que deve ser ou não este espaço. Muitas coisas têm estado pendentes, para reflectir, para pensar se vale ou não vale a pena, porque como bem calculais manter um espaço destes ano após ano implica muitas, mas muitas horas mesmo de trabalho, de dedicação, e mesmo de novidade que nem sempre se encontra.


Hoje quero apenas parar para olhar o que foi, o que é o Retalhos 1 e 2 e pensar no que poderá vir a ser um Retalhos 3, ou se será de pensar num site mais profissional e os conteúdos ali a inserir e partilhar.


Ao terminar este dia de aniversário do “Retalhos” quero agradecer-vos todas as vezes que por aqui passais e as partilhas que fazeis.


Que a todos Deus abençoe, Francisco proteja e Maria Mãe acalente no Seu Coração.


Benedicat!

28 abril 2011

Decreto sobre o culto a João Paulo II




CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS




DECRETO
ACERCA DO CULTO LITÚRGICO A CONCEDER
EM HONRA DO BEATO JOÃO PAULO II, PAPA




A beatificação do Venerável João Paulo II, de feliz memória, que se realizará a 1 de Maio de 2011 na Basílica de São Pedro em Roma, presidida pelo Santo Padre Bento XVI, reveste um carácter de excepcionalidade, reconhecido por toda a Igreja católica espalhada na terra. Desejada tal extraordinariedade, depois de numerosas solicitações acerca do culto litúrgico em honra do novo Beato, segundo os lugares e os modos estabelecidos pelo direito, esta Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos apressa-se em comunicar quanto disposto a propósito.




Missa de acção de graças




Estabelece-se que durante o ano seguinte ao da beatificação de João Paulo II, isto é, até 1 de Maio de 2012, seja possível celebrar uma santa Missa de acção de graças em lugares e dias significativos. A responsabilidade de estabelecer o dia ou os dias, assim como o lugar ou os lugares da reunião do povo de Deus, compete ao Bispo diocesano para a sua diocese. Consideradas as exigências locais e as conveniências pastorais, concede-se que se possa celebrar uma santa Missa em honra do novo Beato num domingo durante o ano como também num dia incluído nos nn. 10-13 da Tabela dos dias litúrgicos.




Analogamente, para as famílias religiosas compete ao Superior-Geral oferecer indicações acerca dos dias e lugares significativos para a inteira família religiosa.




Para a santa Missa, com possibilidade de cantar o Gloria, reza-se a colecta própria em honra do Beato; as outras orações, o prefácio, as antífonas e as leituras bíblicas são tiradas do Comum dos pastores, para um papa. Repete-se um domingo durante o ano, para as leituras bíblicas poder-se-ão escolher textos adequados do Comum dos pastores para a primeira leitura, com o relativo Salmo responsorial, e para o Evangelho.




Inscrição do novo Beato nos Calendários particulares




Estabelece-se que no Calendário próprio da diocese de Roma e das dioceses da Polónia a celebração do Beato João Paulo II, Papa, seja inscrita a 22 de Outubro e celebrada todos os anos como memória.




Sobre os textos litúrgicos concedem-se como próprios a oração da colecta e a segunda leitura do Ofício das leituras, com o relativo responsório . Os outros textos serão tirados do Comum dos pastores, para um papa.




Quanto aos outros Calendários próprios, o pedido de inscrição da memória facultativa do Beato João Paulo II poderá ser apresentado a esta Congregação pelas Conferências dos Bispos para o seu território, pelo Bispo diocesano para a sua diocese, pelo Superior-Geral para a sua família religiosa.




Dedicação de uma igreja a Deus em honra do novo Beato




A escolha do Beato João Paulo II como titular de uma igreja prevê o indulto da Sé Apostólica (cf.Ordo dedicationis ecclesiae, Praenotanda n. 4), excepto quando a sua celebração já está inscrita no Calendário particular: neste caso não é solicitado o indulto e ao Beato, na igreja em que é titular, é reservado em grau de festa (cf. Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos,Notificatio de cultu Beatorum, 21 de Maio de 1999, n. 9).




Não obstante qualquer coisa em contrário.




Da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, 2 de Abril de 2011.




(Antonius Card. Cañizares Llovera)
Praefectus




(+ Iosephus Augustinus Di Noia, OP)
Archiepiscopus a Secretis

25 dezembro 2010

Noite Feliz (Seminário da Luz)

Que esta noite, que para mim já começa a clarear mas... precisava partilhar um pouco mais do meu Natal.
Aqui neste espaço, nesta casa e Igreja, está um pouco de muitos Amigos que nesta última semana ajudaram a concretizar os rabiscos que desenhei há uns tempos.
A todos vós a minha gratidão e a certeza de que imploro ao Menino Deus a Sua bênção.
Que esta seja a noite mais feliz das nossas vidas porque "um Menino nos foi dado, um Santo nos nasceu, será chamado príncipe da paz"
Uma vez mais Santo e feliz Natal.
(desactivar a música do blog na coluna da esquerda)

08 dezembro 2010

Nós te saudamos Maria

Hoje celebramos a IMACULADA CONCEIÇÃO da Virgem Santa Maria, Padroeira e Rainha de Portugal e da Família Franciscana.
É um dia para olhar para Maria nossa Mãe e louvar Deus pelo Seu "Ecce fiat magnificat".
Com palavras de S. Francisco e o canto da nossa Ir. M.ª Amélia Costa Homenageamos Maria a nossa Mãe.
(desactivas a música do blog na coluna da esquerda e ver info no painel rolante acima, pata ver o vídeo em HD - Alta Definição)

27 novembro 2010

Advento: Figuras

As figuras do advento

Isaías - Isaías é o profeta que, durante os tempos difíceis do exílio do povo eleito, levava a consolação e a esperança. Na segunda parte do seu livro, dos capítulos 40 - 55 (Livro da Consolação), anuncia a libertação, fala de um novo e glorioso êxodo e da criação de uma nova Jerusalém, reanimando assim os exilados.
As principais passagens deste livro são proclamadas durante o tempo do Advento num anúncio perene de esperança para os homens de todos os tempos. Ele que no capitulo 7 do seu livro já anuncia a vinda do Senhor.

João Baptista - É o último dos profetas e segundo o próprio Jesus, "mais que um profeta", "o maior entre os que nasceram de mulher", o mensageiro que veio diante d'Ele a fim de lhe preparar o caminho, anunciando a sua vinda (Lc 7, 26 - 28), pregando aos povos a conversão, pelo conhecimento da salvação e perdão dos pecados (Lc 1, 76s). A figura de João Baptista ao ser o precursor do Senhor e aponta como presença já estabelecida no meio do povo, encarna todo o espírito do Advento. Por isso ele ocupa um grande espaço na liturgia desse tempo, em especial no segundo e no terceiro domingo. João Baptista é o modelo dos que são consagrados a Deus e que, no mundo de hoje, são chamados a também ser profetas e profetisas do reino, vozes no deserto e caminho que sinaliza para o Senhor, permitindo, na própria vida, o crescimento de Jesus e a diminuição de si mesmo, levando, por sua vez os homens a despertar do torpor do pecado.

José - Nos textos bíblicos do Advento, se destaca José, esposo de Maria, o homem justo e humilde que aceita a missão de ser o pai adoptivo de Jesus. Ao ser da descendência de David e pai legal de Jesus, José tem um lugar especial na encarnação, permitindo que se cumpra em Jesus o título messiânico de "Filho de David".José é justo por causa de sua fé, modelo de fé dos que querem entrar em diálogo e comunhão com Deus.

Maria – É a personagem central do Advento. É a "Cheia de graça", a "bendita entre as mulheres", a "Virgem", a "Esposa de Jesus", a "serva do Senhor". É a mulher nova, a nova Eva que restabelece e recapitula no desígnio de Deus pela obediência da fé o mistério da salvação. É a Filha de Sião, a que representa o Antigo e o Novo Israel. É a Virgem do Sim a Deus. É a Virgem da escuta e acolhe. Maria aceitou ser a mãe de Jesus Cristo, o Filho de Deus Salvador. A Liturgia do Advento sintetiza a função de Maria no Natal de Jesus:
"Nós vos louvamos, nós vos bendizemos e vos glorificamos pelo Mistério da Virgem Mãe. Porque, se do antigo adversário nos veio a ruína, no seio da Filha de Sião germinou aquele que nos nutre com o pão celestial, e fez brotar para todo o género humano a salvação e a paz. A graça que Eva nos arrebatou nos foi devolvida em Maria. Nela, mãe de todos os homens, a maternidade, redimida do pecado e da morte, abre-se ao dom de uma vida nova. Assim, onde havia crescido o pecado, superabundou vossa misericórdia em Cristo nosso Salvador. Por isso nós, enquanto esperamos a vinda do Cristo, unidos aos anjos e aos santos, cantamos o hino louvor" (Prefácio IV).

http://www.pucrs.br/pastoral/advento

10 novembro 2010

Semana dos Seminários: Oração

Jesus Cristo, Bom Pastor

que dás a vida pelas Tuas ovelhas.

Tu és o Filho muito amado do Pai,

Tu és o nosso Mestre e Salvador.

Faz dos nossos seminários

Comunidades de discípulos,

Sementeiras de Amor,

de serviço e de entrega radical

pelo Teu Reino; sinais de esperança

de um futuro de vida verdadeira,

em abundância para todos.

Fortalece e ilumina

No discernimento vocacional

os nossos seminaristas;

confirma nos dons do Espírito Santo

os seus formadores;

enche de generosidade e espírito de serviço

os auxiliares que com eles trabalham.

Recompensa e abençoa os benfeitores,

que com a oração e partilha de bens,

zelam pela missão;

ampara o nosso Bispo

e os nossos párocos,

para que sejam sempre fiéis

ao dom do seu sacerdócio;

desperta a generosidade

e a coragem dos nossos jovens

para Te seguirem

e concede às nossas famílias

o dom de Te proporem

como caminho, verdade e vida...

Nós Te pedimos por intercessão de

Nossa Senhora, Tua e nossa Mãe




07 maio 2010

Bento XVI em Portugal

Está próxima a visita do Santo Padre a Portugal.
Continuemos a rezar pelos bons frutos desta visita do Vigário de Cristo na terra.

03 maio 2010

Papa visita Portugal: Maio 2010


Nota Pastoral do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa

1. Júbilo e Gratidão
O Santo Padre Bento XVI, correspondendo ao convite, várias vezes reiterado, dos Bispos portugueses bem como ao convite do Senhor Presidente da República, aceitou visitar o nosso País, por ocasião da peregrinação aniversária de 12 e 13 de Maio a Fátima, no próximo ano. O anúncio da visita suscitou, de imediato, um sentimento de júbilo e regozijo entre o nosso povo. Trata-se da concretização de um desejo, ansiosamente esperada, que muito nos honra e distingue, até porque Bento XVI escolhe os gestos e as viagens que faz, com motivações espiritualmente profundas e teologicamente ricas.
Queremos, pois, agradecer, de todo o coração, ao Santo Padre e corresponder a esta honra com aquele amor ao Papa que é uma dimensão profunda do catolicismo português. A comunhão visível com o Sucessor de Pedro, fisicamente presente entre nós, será, mais uma vez, ocasião da expressão espontânea desse amor à sua pessoa, ao seu magistério e ao seu serviço universal e de fidelidade à Igreja.
2. Peregrino de Fátima
O Santo Padre vem, essencialmente, como peregrino de Fátima, onde encontrará uma expressão viva de todas as Igrejas de Portugal.
A sua vinda a Fátima coincide com o décimo aniversário da beatificação dos pastorinhos Francisco e Jacinta e com as comemorações do centenário do nascimento da Jacinta. Todavia, projecta-se no horizonte mais amplo das suas peregrinações aos maiores santuários marianos espalhados pelo mundo, como grandes centros de evangelização.
Quando o Papa se faz peregrino, na qualidade de Pastor universal da Igreja, é toda a Igreja que peregrina com ele. Por isso, esta sua peregrinação reveste um grande significado pastoral, doutrinal e espiritual.
Ele conhece como ninguém o cerne e o alcance da Mensagem de Fátima, de que se tornou intérprete singular com o seu Comentário Teológico ao “terceiro segredo”, quando era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. Já como Papa, na visita ao Brasil, evocando o nonagésimo aniversário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima, não hesitou em falar da “mais profética das aparições modernas”. Sabe, pois, muito bem qual é a actualidade e a importância de Fátima para a Igreja e para o mundo, tal como as exprimiu o Papa João Paulo II, de santa memória: “De Fátima irradia para todo o mundo uma mensagem de conversão e de esperança; uma mensagem que, em conformidade com a fé cristã, está profundamente inserida na história... O apelo que Deus nos faz chegar através da Virgem Santa conserva intacta, ainda hoje, a sua actualidade”.
A peregrinação do Santo Padre a Fátima é, assim, uma interpelação para nós. O Santuário de Fátima, onde se torna viva e actual a Mensagem de Nossa Senhora, é hoje um elemento importante para a evangelização e para a edificação da Igreja no nosso País. Nós, os Bispos, estamos conscientes da importância decisiva deste Santuário. Desejamos que ele exprima o lugar particular de Maria no mistério de Cristo e da Igreja, como estrela da evangelização.
Maria, que o Papa chama “Estrela do mar” na encíclica “Spe salvi”, é aquela que acompanha a viagem de cada um de nós e de toda a Igreja no mar da vida e da história com o amor vigilante e atento de uma mãe que ama os seus filhos e deseja a sua felicidade. E na viagem indica a Luz verdadeira que é Jesus e convida a fixar nele o nosso olhar, repetindo a cada um de nós o que disse aos serventes nas bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser”.
Maria é também a “Estrela da esperança” porque indica continuamente a meta, o porto seguro e feliz, a comunhão eterna e definitiva com Deus e com todos os homens, os novos céus e a nova terra onde habitará para sempre a justiça.
Neste sentido, a visita do Santo Padre quer também encorajar o empenho constante e generoso na obra de evangelização, ajudando a passar de uma religiosidade tradicional a uma fé adulta e pensada, capaz de testemunho corajoso em privado e em público, que saiba enfrentar os desafios do secularismo e do relativismo doutrinal e ético, típicos do nosso tempo, que Bento XVI lembra frequentemente.
3. Acolher e acompanhar o Papa peregrino
Neste momento, ainda não está definido o programa da visita do Santo Padre. Na próxima Assembleia dos Bispos, em Novembro, reflectiremos sobre como prepará-la espiritualmente, a fim de que possamos vivê-la como um momento de graça e uma significativa experiência cristã para a Igreja em Portugal.
Desde já convidamos todos os fiéis a acolher o Santo Padre em verdade, como Sucessor de Pedro que vem confirmar os irmãos na fé, e com afecto e participação pessoal, unindo-nos em oração às suas intenções pela Igreja e pelos grandes anseios da humanidade.
Elevemos, pois, a nossa oração à Virgem Maria, Mãe da Igreja, Nossa Senhora de Fátima, para que, com a sua bondade materna, acompanhe os passos do Santo Padre nesta peregrinação e o assista no seu ministério de Sucessor de Pedro, que nos preparamos para acolher e acompanhar com alegria, entusiasmo e devoção filial.

Fátima, 6 de Outubro de 2009

08 dezembro 2009

Imaculada, minha Mãe...

IMACULADA CONCEIÇÃO,
Senhora e Mãe minha.
Não consegui gravar nova Avé Maria de Schubert para Ti hoje...
Falta de voz, meios, e muito trabalho... Tentei mas não consegui. Mas Tu, sim Tu, Mãe, sabes bem o quanto Te quero e canto. Sem Ti a Vida seria vazia, sem esperança, sem Deus...
Obrigado Mãe porque fazes parte de mim e eu de TI...
Abençoa neste dia todos os Amigos que por aqui passarem, os meus familiares, Amigos e todos quantos rezam por mim.
Como Tu quero dizer: "Ecce fiat magnificat!

03 novembro 2009

RETALHOS: 3 anos de vida!

RETALHOS… quais pedaços de vida onde o importante é fazer parte da vida de alguém…

Foi assim que há 3 anos nasceu o RETALHOS… já escrevi nos dois anos anteriores sobre os motivos que levaram a este nascimento, motivo principal a AMIZADE…
Passaram 3 anos e desde o dia em que inseri a contagem de visitas, no dia 20 de Novembro de 2007, o RETALHOS teve 55474 visitas.
Hoje dia 02/11/09 (22h15 – hora de Lisboa) visitaram o Retalhos Brasil 41, Itália 1, Austria 1, Portugal 25 estando neste momento 4 visitas online ambas em Portugal).
Os muitos Amigos que sois em todo o mundo, ou simples visitantes, sois a razão de ser deste espaço aberto a todos os que de boa mente aqui procuram um retalho de e para a vida bem como os que aqui deixastes retalhos e partilhas do vosso viver e sentir.
Quanta gratidão se sente numa hora destas.
Devo confessar-vos que muitas vezes apetece parar, esquecer que existe um RETALHOS e num único segundo (sim porque basta efectivamente um único clic) apagar tudo o que aqui se partilhou e continua a partilhar em RETALHOS 2.
Mas… muitas horas de dedicação e busca de melhorar cada dia e cada momento o blogue porque na verdade sinto essa responsabilidade para com todos os AMIGOS que sois vós.
O RETALHOS não parou e desde Janeiro que tem um seu par: o RETALHOS 2 e que tem já até este momento 19102 visitas desde o dia 01/01/09.
Não sei que dizer ou pensar… sinto um misto de alegria por estes três anos de dedicação, lembro os que me ajudaram no início a entender como funcionam estas coisas e hoje… tanto caminho percorrido e sozinho já vou criando e buscando novidades.
Deixo a cada um de vós que hoje visitais o RETALHOS em
http://betus-pax.blogspot.com ou o RETALHOS 2 em http://betus-pax2.blogspot.com a palavra da partilha e do crescimento destes grandes retalhos que pretendem ser uma manta de pedaços de AMIZADE. Sem os Amigos já não existiriam estes blogues, tal como acontece a tantos que nascem e nem deixam de ser crianças porque não crescem e não têm quem os queira visitar e mimar com o seu tempo e a sua palavra.
Se podemos dizer PARABÉNS RETALHOS… podemos e devemos dizer PARABÉNS AMIGOS…
O Retalhos continuará a ser um espaço de encontro, amizade, oração, louvor, música, partilha e opinião na certeza de que respeitaremos a opinião de quem quer que seja e a publicaremos desde que ela seja respeitadora dos valores da Amizade e do respeito para com pessoas, os seus pensamentos, a sua imagem.
Que Deus a todos nos ajude a ser no mundo cibernáutico um espaço o lugar da diferença…
Bem-hajam. Benedicat!

01 janeiro 2009

Novos Retalhos

Caríssimos AMIGOS, paz e bem e, antes de mais, os meus sinceros votos de que para todos quantos visitam o Retalhos o ano 2009 seja abençoado.
Diz o povo que “ano novo vida nova”. Diremos nós agora que ano novo RETALHOS NOVO.
Há muito que o nosso Retalhos vinha a tornar-se difícil de abrir pela enorme quantidade de coisas que aloja.
Assim, hoje dia 1 de Janeiro de 2009, pelas 20h35 – hora de Lisboa – nasce um novo Retalhos cujo endereço é
http://betus-pax2.blogspot.com
Podeis aceder a ele através do primeiro botão da esquerda na barra superior.
Obrigado por me terdes ajudado a regar esta rosa durante mais de dois anos.
Este blogue “Retalhos” foi para mim e para muitos de vós um ponto de encontro e continuará a ser. Apenas lhe oferecemos um irmão “Retalhos 2” para que possa continuar a crescer a todos os níveis.
A MINHA GRATIDÃO AOS TANTOS MILHARES QUE POR AQUI PASSASTES E CONTINUAREIS A PASSAR.

Benedicat tibi Dominus
Frei Albertino S. Rodrigues O.F.M.

30 dezembro 2008

Gratidão e bênção para 2009

Que seria da nossa vida sem a presença de todos os que, de uma forma ou de outra, tornam possível cada dia como um DOM DE DEUS...
É com este sentimento que termino este ano de 2008.
O Retalhos cresceu a muitos níveis, ultrapassou barreiras que outros blogues nunca chegaram, teve visitas tantas que não é habitual num blogue deste género.
A todos vós que em tantos paises fostes divulgando este espaço, a quantos tivestes a coragem de deixar aqui um pedaço de vós mesmos, o meu muito e sincero obrigado.
Este foi o cartão que ontem e hoje enviei por email a quantos fizeram parte deste Natal.
Coloco-o agora em destaque no blogue para que ele seja também para todos os que neste ano que termina se juntaram a esta grande família.
Em 2009 continuaremos a crescer e a tornar este espaço mais acolhedor.
Fica esta promessa com a esperança de que todos continueis a vir aqui e a ajudar a crescer.
Que Deus a todos abençoe e que o ano 2009 seja de paz e diálogo entre as Nações.
Abraço de paz e bem e... seja por caridade!

28 dezembro 2008

Adeste Fideles (Sagrada Família)

Celebramos hoje a Festa da Sagrada Família.
Somos convidados a olhar uma vez mais para a ternura de Deus Menino que se dignou nascer numa família humana tal como nós.
É uma forma peculiar de Deus entrar na nossa história.
O Adeste Fideles é eco dos pastores que vão chegando ao presépio para manifestar junto de José e Maria a alegria por este Menino que nos nasceu.
Ele é a Vida que estava junto do Pai e que se manifestou na terra para que todos nós possamos ver a Sua glória de Unigénito do Pai, cheio de graça e verdade.

(Desactivar, na coluna da esquerda, a música do blog para ver o clip de vídeo)

25 dezembro 2008

Santo e Feliz Natal

"O Verbo, fez-se carne e habitou entre nós, e vimos a Sua Glória de Unigénito do Pai, cheio de graça e verdade"!

É com este cântico no coração que a todos vos saúdo nesta noite que já vai adentrada.
O Menino Deus renasceu na nossa vida...
A todos quantos passais pelo Retalhos deixo-vos com a foto do presépio da igreja do nosso Seminário, num gesto de gratidão a todos os que, de uma forma ou outra, aqui deixaram um pedaço de si.
Que a todos DEus recompense com penhor de graças e bênção.
Santo e Feliz Natal!

(Estou a tentar inserir aqui mais um clip de vídeo. Até lá aguardemos que a técnica me ajude)

24 dezembro 2008

Noite de procura e de Luz.

Depois de um dia muito cansativo, venho ao blog para serenar. Estes dias tenho dedicado o meu tempo ao Natal exterior, é tempo do Natal interior.
Levo o meu pensamento ao natal da minha infância... o efeito de neve a cair no blog lembra-me as noites dessa infância lá na aldeia com a neve a cair.
O POEMA que se segue, perdoem os bons poetas a pobreza, é a minha oração da noite. Imagino, nesta noite e dia, Maria e José à procura do lugar do Nascimento.
Este poema brotou há um ano depois de um dia como o de hoje, de cansaço mas também da muita alegria por ter tido a dedicação de alguns Amigos na realização das ornamentações e presépios desta casa.
É para eles neste momento a dedicação do poema / oração desta noite.
OBRIGADO...

NOITE DE PROCURA E DE LUZ

Passo a passo vão pelo horizonte além
No cansaço de um longo caminhar,
Dirigem-se à cidade de Jerusalém
José e Maria, a fim de se recensear.

Um burrinho cansado, Maria transporta
Alheio ao milagre que em noite irá ver,
Levará Maria e José de porta em porta
E um Menino no ventre que está p’ra nascer.

E eis que é chegada a hora da Esperança
Em que a Virgem trará a Salvação.
Mas ninguém tem lugar na vizinhança
Para acolher em sua casa um Irmão.

E a noite sobre a terra vai caindo,
Frio, escuridão e neve caem também.
E o burrinho, bem cansado, vai seguindo
Levando Maria e José até Belém.

E o Menino que no ventre, é o Senhor
Não podia esperar mais p’ra nos salvar.
É num estábulo, não havia lugar melhor,
Que Maria, a Deus Menino, à luz vem dar.

Quanta alegria o burrinho e os animais
Ali pasmados diante da grande Luz.
Um bebé ali nasceu chorando em ais,
E seus pais já lhe chamavam Jesus.

Ó que noite de Luz, noite Santa,
Em que Deus connosco habitou.
A Criação inteira exulta e canta
Em adoração a quem tudo criou.

Noite da procura é agora noite da Vida
Porque Deus, o Emanuel, até nós vem,
E a humanidade que se encontrava perdida
Vê-se salva num estábulo, em Belém.

Neste dia que antecede o meu Natal
Quero fazer da minha Vida uma oração.
Oferecer ao Menino Deus, presente tal,
Que consiga esgotar meu coração.

Brilha Luz Divina sobre mim
Sobre todos os que tenho no pensamento.
Que a tua bênção desça a nós, sem fim,
Que neste Natal sejamos o teu acolhimento.

Noite de procura dum lugar p’ra dar à Luz
É a noite de todo homem e mulher também.
Que cada um possa esquecer a sua cruz
P’ra celebrar a alegria, na noite de Belém.

Frei Albertino S. Rodrigues O.F.M.

12 dezembro 2008

Advento: Origem e simbologia

O texto que aqui estava foi republicado a 4 de Dezembro de 2010 no Retalhos 2 em
http://betus-pax2.blogspot.com

08 dezembro 2008

Avé Maria... Imaculada e Mãe!

Hoje uma vez mais celebramos a Imaculada Conceição, Rainha de Portugal, Rainha e Mãe da Ordem Franciscana, Padroeira desta Casa onde hoje, de forma diferente, lh’E canto. Não digo palavras, deixo à vossa reflexão as que escrevi há um ano atrás.
Com este clip de vídeo pretendo apenas louvar Deus em Maria, Aquela que disse SIM…
No final fica a belíssima Saudação à Bem-aventurada Virgem Maria, da autoria de S. Francisco de Assis.
(desactivar, a meio da coluna da esquerda, a música do blog e perdoem a desafinação mas também ela é louvor.)
Salvé, Senhora santa Rainha,
santa Mãe de Deus, Maria,
virgem convertida em templo,
e eleita pelo santíssimo Pai do céu,
consagrada por Ele com o seu santíssimo amado Filho
e o Espírito Santo Paráclito;
que teve e tem toda a plenitude da graça e todo o bem!
Salvé, palácio de Deus!
Salvé, tabernáculo de Deus!
Salvé, casa de Deus!
Salvé, vestidura de Deus!
Salvé, mãe de Deus!
E vós, todas as santas virtudes, que pela graça e iluminação do Espírito Santo sois infundidas no coração dos fiéis, para, de infiéis que somos, nos tornardes fiéis a Deus.
São Francisco de Assis

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2007 Template feito por Templates para Você